3 de jan de 2011

Raso

É na dor que me inspiro.
Na solidão que me vejo.

Não sei o que desejo.

Só sei o que não quero.

Não quero mais você.

Quero algo que me parece inalcansável.

Se você soubesse o que é isso.

Não quero a dor do poeta romântico.

Não quero a dor existencial.

Não quero mais a profundidade.

Acho que vou me afogar.

1 de jan de 2011

Saldo de 2010

Cara o que foi 2010 pra mim, não sei explicar foi bem sofrível, uma reinvenção de mim.
Bem o fim de 2009 foi horrível de uma maneira que não gostaria de descrever.
2010 era pra ser o reinício e realmente me reinventei de alguma maneira, me superei em várias coisas, porém pequei em vários fatores, esse foi o ano do pecado, vivi o pecado me deliciei nele, mas acho que devo dar um tempo.
Foi o ano da solidão acho que nunca ela me incomodou tanto como agora, meu ano foi marcado por andar por aí de carro sozinho e isso me fez sofrer de certa forma, creio que foi a pior parte do ano que passou.
Bem agora estou aqui em 2011, sobrevivi, vai ser o ano que precede 2012, meu Apocalipse estudantil, minha nova vida. A partir do fim desse ano serei um profissional e isso tem sido assustador, bem não tenho o que prometer pra esse ano, só espero conseguir ser ético com o que sou e poder acessar tudo aquilo que não sei sobre mim.