14 de dez de 2010

Let's Rock!

Quando comecei a escutar rock, lá pelos meus 11 anos de idade, meus pais acharam esquisito, depois de um tempo as pessoas começaram a dizer que era só fase, e cá estou com 22 anos e continuo amando o rock.
A maneira como o rock se expressou em mim mudou no decorrer do tempo, no começo era descoberta escutava de tudo, depois veio a fase nirvana, queria ser o kurt cobain. Mais velho veio a fase Iron Maiden, daí fui pro heavy metal melódico e misturando com meu vício em senhor dos anéis virou um coisa fantástica. Eu queria ser um cavaleiro medieval lutando em batalhas sangrentas, matando dragões. Daí veio a fase dark, black metal, death metal, gotic metal.
Me livrei da visão heavy metal da vida, cortei o cabelo que ia até os ombros e fui além da imaginação, num sonho pink floyd da vida, queria ter a capacidade imaginativa de Roger Waters e a Técnica de David Gilmour que juntos comporam a perfeição a sombra de Syd Barret, o psicodelismo, o surrealismo, o tudo e o nada essa foi minha fase Pink Floyd.
Cheguei a universidade minha mente se expandiu o rock piorou, tudo que eu achava ruim antes hoje me parece maravilhoso. Slipkonot! é uma merda! System ah vai se foder, Linkin Park puta que paril! Eh meus amigos o rock chegou a ficar tão ruim que hoje escuto todos os sucessos de minha adolescência rock e acho muito bom.
Em 2011 vai ser minha fase rock in rio eu lembro de quando vi o show do Guns em 2001 e pensei meu deus que demais, queria um dia poder estar nesse lugar, foi o início da minha adolescência. Em 2011 eu estarei lá tudo aquilo que sonhei no começo, vai ser o fim da minha adolescência, da vida de estudante, vai ser meu ritual de passagem para a vida adulta. Ali vai morrer o Paulo estudante e vai nascer o Paulo psicólogo, meu ritual de passagem, minha vivência de morte.
Essa é só uma parte da minha vida, essa é só uma parte do Rock que ela vai tocar.

7 de dez de 2010

Um turbilhão sabe é isso que vive dentro de mim, tanta coisa que nem sei sobre o que escrever.
Tantas dores amores, mortes, lutos, vidas, alegrias de uma só vez que quase rasga o meu peito e explode no mundo.
Bem foi de uma explosão que o universo foi criado, vai ver que é dessa explosão que preciso.
Preciso explodir isso dentro de mim pra fora, pro mundo!
A partir daí pode se criar tanta vida, tanta beleza.
Preciso aceitar quem sou, aceitar o meu tempo.
Preciso respirar....
Preciso respeitar.

2 de dez de 2010

01 de dezembro

Sabe essa data nunca foi comum pra mim, é dia do aniversário da minha mãe.
Quantos 01 de Dezembro eu já passei na minha vida.
Nunca foi um dia comum sabe, muitas vezes marcaram mais que meu próprio aniversário que ocorre uma semana antes.
Ontem não foi um dia comum, foi prazeroso foi sem igual.
Só que desde ontem eu fico com uma idéia obsessiva na minha cabeça, ela não saí fica martelando. Nem sei explicar ao certo chega a ser incomum, principalmente pra mim uma pessoa tão cheia de defesas.
Sei lá eu queria poder contar o que to sentindo pra alguém, mas depois de tudo só pode ser leseira minha então prefiro ficar calado.