26 de jun de 2011

Descompasso

Quero me encontrar, mas não sei onde estou
Procuro a mim no espelho vejo algo que não sou/fui
Não há como prever para onde estou indo
Que escolhas me aguardam que desejo ainda tenho
Sinto falta do amor e daquilo que ele faz
Sinto falta de uma dor e aquilo que me traz
Não enxergo Eros, ou eu fujo dele
Não há exagero quando digo não despeje
Talvez pareça estranho
O que sinto não é dor, não é prazer
O que sinto é indolor, você não vai querer saber
Poema sem estética, rima descontinuada
Assim é minha vida afora e adentro
Sem ritmo no descompasso do desconhecido
Danço uma dança que não sei dançar
Danço apenas para me encontrar
E no final quando estiver cansado
Talvez eu sente esperando algum respaldo
Deus não se engane nem me engane
Quero apenas que meu destino se cumpra
Quero apenas que minha alma te escuta
Para que na labuta dessa vida meu destino se cumpra.

0 comentários: